20 de julho de 2012

!!! Especial Casamentos: Casa Loma !!!

Bom Dia, gatonas e gatões, tudo bem?

Já pensou em casar em um castelo?
Se você quiser ou puder desembolsar uma boa quantia , isso pode ser possível?

Em Toronto, no Canadá, está localizado o mai famoso castelo da América do Norte - a Casa Loma (casa na colina em espanhol).
Próximo á estação de metrô Dupont, o castelo neo-romântico, foi construido por Sir Henrry Mill Pellatt, um homem visionário e amante dos negócios. Apaixonado pela arquitetura européia, Pellatt planejou a construção de um castelo com um ar europeu.


A Casa Loma era o grande sonho de Pellatt, que levou três anos para ser concluída, sendo necessários 300 homens para trabalhar durante todo esse período. 
Foi gasto algo em torno de 3,5 milhões de dólares na época, e hoje vale muito mais que isso.
Hoje, o local pertence a cidade de Toronto e é administrado pelo Kiwanis Club desde 1937. 


O castelo possui três andares, um subsolo  35 cômodos. No topo, é possível ver toda a cidade.
Com decorações românticas e elegantes, o castelo conta com passagens secretas e é o queridinho para locações de clássicos de Hollywood.




Filmes como X- Men, Chicago, Cocktail, O Pacificador, entre outros, tem o castelo como locação de diversas cenas.

Mas não é só de filmes que a Casa Loma chama a atenção, muitas noivas canadenses também ficaram encantadas por ele. Tanto que o local se tornou um dos mais famosos espaços para quem quer e vai se casar em Toronto.


Tina Katz, gerente do buffet do Casa Loma, diz que os cômodos que mais chamam a atenção dos noivos são o Great Hall - suntuoso hall de entrada do castelo que possui lareiras e janelas com vista para o jardim imenso; a Library - a livraria do castelo, uma sala rodeada de estante com livros até o teto e o Conservatory - um salão cercado por flores e que era o local mais frequentado do castelo.

Library
Great Hall e The Conservatory, respectivamente 
Nesse último espaço, pode ser montado um altar com cadeiras para que os convidados assistam a cerimônia de casamento. 


Mas atenção: caso alguma noiva aqui queira casar por lá e aproveitar a vista maravilhosa do terraço e os jardins do castelo, deve escolher uma data entre os meses de maio e outubro, período em que esse local fica aberto aos noivos e convidados. 



De acordo com Tina, muitos casais escolhem o castelo por considerarem um lugar bonito e que não precisa de decoração extra, além de oferecerem todo o serviço de buffet, com louças, talheres, copos, mesas, cadeiras, toalhas de mesa, guardanapos, garçons, tudo o que o casal desejar para realizar o seu casamento.



Perfeito? 
Melhor que isso, só ganhando na loteria ... hehe!!

Segundo a gerente do buffet da Casa Loma, os noivos que querem realizar o sonho de casar em um castelo devem desembolar entre CAD$75 a CAD$ 90 dólares canadenses por pessoa ( R$149,00 a R$179,00), sem contar as bebidas alcoólicas. 

Como a Casa Loma é um dos locais mais famosos de Toronto ela também é aberta ao público quando não há casamentos agendados. Cada visitante adulto paga CAD$18,00 (R$35,00) de entrada e pode conhecer todos os cômodos do castelo. 

Veja mais fotos de um casamento realizado na CASA LOMA:
(clique nas imagens para aumentar) 











Então, já reservou sua data?

Um sonho esse lugar né minha gente !!!

Bjinnhuss e um mega final de semana !!!

Fontes: 

9 de julho de 2012

!!! O vestido de noiva - a origem !!!

Bom Dia lindonas, tudo bem?
Todas as noivas sonham com o seu casamento: decoração, músicas e tudo o que puder para que este dia seja especial, porém o que tira o sono de muitas delas é a escolha do vestido de noiva perfeito.
Mas por acaso, você sabe como este item indispensável surgiu?
Bora conferir?


Ao longo da história, o vestido de noiva experimentou diversas formas, cores e estilos. Na  Roma antiga os vestidos de noiva era o elemento central do ritual religioso pois era através do traje da noiva (uma túnica branca e um véu de linho muito fino de cor púrpura) que a cerimônia de casamento se diferenciava das outras.

Na idade média o que predominou foram os bordados nos vestidos de casamento da nobreza. Mas só no século XIX que os vestidos ganharam os significados e os simbolismos. Com a queda do Império Romano, as atenções culturais do ocidente passaram a ter como referência o padrão de elegância proposto pela corte bizantina. Lá, as noivas se casavam vestidas de seda vermelha bordada em ouro e traziam no cabelo tranças feitas com fios dourados, pedras preciosas e flores perfumadas. Nesta o vestido servia apenas para apresentar à comunidade as posses da família da moça. Simplesmente um puro fator de poder e status social.
E quando digo luxo e requinte, estou bem longe de dizer rendas e swarovski; nesse caso a descrição e o bom gosto ficam bem distantes. Era comum na Grécia antiga, por exemplo, as mulheres usarem cores escuras e estampadas. A noiva romana por sua vez, abusava do vermelho escuro, vinho para o véu e amarelo - açafrão para as túnicas. Nossa, imagina que linda né !!! 


Imagina não... olha só como era: 

Noivas Gregas 
Noiva romana
E o preto? Pois é, quem diria que uma cor que hoje é usada como símbolo de luto era comum pelas noivas da alta Renascença (séc. 16). Para representar uma sociedade estremamente religiosa, as moças usavam vestidos pesados e luxuosos com esta cor. 




Foi só após a Idade Média é que o branco tornou-se frequente, pois esse tipo de cerimônia, passou a ser considerado um sacramento religioso. Essa decisão foi tomada para que as famílias garantissem e aumentassem seus patrimônios, principalmente por estarem vivendo em época de invasões bárbaras. O vestido de noiva surgiu com a função de mostrar á sociedade que a familia da noiva possui muitos bens, ou seja, veio como uma simbologia de poder e função social.


Os registros mostraram que a primeira mulher a casar com um vestido de noiva branco foi a Rainha Inglesa Vitória. Por ser uma rainha jovem, coroada aos 18 anos, ela escolheu usar essa cor para simbolizar o amor, já que nessa época os casamentos eram arranjados entre as famílias. A monarca escolheu um traje de cetim branco, véu sem coroa e no local de jóias reais, usou flores de laranjeira, fato inédito na monarquia. Por ser uma rainha, foi ela quem pediu o marido, o Principe Albert, em casamento. Depois que o marido morreu, a Rainha Vitória só usou preto, por isso se associa a época vitoriana a essa cor.

Outro caso de uso do branco foi da rainha Maria de Médice, Franca sec. 17, que usou essa cor em seu vestido, seguido de detalhes dourados e decote quadrado, causando um enorme rebuliço na corte francesa.
Detalhe interessante: foi daí que veio a ideia de pureza da cor brabca, pois Michelangelo atribuiu este estado de espírito a moça, que tinha apenas 14 anos.

Somente na década de 20 o vestido de noiva passou a ter a conotação que conhecemos hoje e o branco passou a ser a cor padrão. Ironicamente, esse foi o período em que as mulheres começaram a lutar por direitos iguais e a moda sofreu mudanças drásticas, mas a peça tornou-se simbolo da pureza e do idela romântico do casamento.


Não é a toa que alguns vestidos de noiva se tornaram referência para a moda de uma época. Se a rainha Vitória lançou tendência nos século XIX, a sua bisneta Elizabeth surpreendeu a tudo e a todos com um dos
vestidos considerados os mais bonito quando se casou com Phillip Mountbatten, em 1947, usando um modelo de Norman Hartnell, costureiro oficial da corte inglesa. 

Em 1935, outro ícone de estilo casava-se com o futuro presidente do EUA. Jacqueline Bouvier Kennedy escolheu um vestido com os ombros à mostra, de uma estilista pouco conhecida, chamada Anne Lowe. Para o seu segundo casamento, com Aristóteles Onassis em 68, Jackie usou um vestido criado por Valentino.


Em 1956, o vestido de casamento de Grace Kelly com o príncipe Rainier de Mónaco, em que a atriz foi considerada uma das noivas mais bonitas de sempre, continua a ser referencia de moda e apontado como um dos vestidos mais bonitos.

Não sei, mas esse vestido me lembra alguém ...

Na década de 60 a moda foi tomada pelo prêt-à-porter, pela minissaia e pelo vestido tubo. Nessa época o vestido de noiva poderia ser comprado pronto nessas versões.
O modelo mais conhecido que utilizou este molde foi o vestido do segundo casamento de Brigite Bardot : um vestido curto, feito de algodão, xadrez rosa e branco, demonstrando uma noiva campestre e natural.


Em 1981, Lady Diana casa com o príncipe Charles usando um dos vestidos mais emblemáticos do século, tendo tornado-se um ícone na história de moda dos vestidos. As mangas em balão e o véu com todo aquele comprimento inspiraram as mulheres que desejavam que o seu casamento fosse semelhante a um conto de fadas.


Em 1996, Carolyn Bessette, trouxe Narciso Rodrigues para o mapa da moda quando vestiu um de seus modelos mega simples no seu casamento com John Kennedy Jr. 


Já em 2000, Katie Holmes vestiu um Giorgio Armani para unir se a Tom Cruise em um Mega Casamento.


Mas não é só os vestidos da realeza que influenciam as noivas de hoje, muitas atrizes e modelos trazem novas ideias para quem deseja se casar com classe. 
Um dos modelos mais citados foi o da atriz Juliana Paes que usou um belíssimo Samuel Cisnansck. 


Não podemos esquecer do casamento real em 2011 - a duquesa de Cambridge, Kate Middleton, casou-se com o príncipe William em um traje totalmente inspirado em Grace Kelly.

Não disse que aquele vestido me lembrava alguém ?
Outro traje brasileiro que ainda é referência para noivas foi o modelo criado por Emanuelle Junqueira para a cantora Sandy Leah.


Lindo né , mas peraí que ainda não acabou ... 

Veja os marcos mais importantes da história do queridinho das noivas ...

       1910 começa-se a usar o branco, não como sinônimo de pureza, mas como expressão de riqueza.

Uma década mais tarde, as noivas libertaram-se e começam a mostrar as pernas com vestidos de linha reta. É o auge do veludo branco.

Em 1930 revive-se o estilo vitoriano com mangas em balão e linhas retas. 


Foi nos dourados anos 50 que a moda tinha o selo Christian Dior. O glamour, a fantasia, e o luxo desenfreado inspiraram o traje das noivas. 

Na década dos anos 60 viveu-se uma autentica revolução sexual. As minissaias estiveram na moda nupcial. Flores naturais nos longos cabelos e véus mais curtos.

Em 1970 os casamentos recuperaram a sua importância e em 1980 o traje que simbolizava a riqueza da época era o de Lady Di.



Hoje em dia, os vestidos de casamentos deixam-se influenciar por diferentes correntes, ditadas por estilistas que buscam a sua inspiração nas passarelas de alta costura de Nova York e Paris.

Gostaram ? 

Deu um trabalhinho esse post, mas eu gostei ... hehe !!

Bjinhuss e Até mais !!


5 de julho de 2012

!!! Mais um casamento de novela !!!

Bom Dia , tudo bem ?
Primeiro , saudações a nação Corinthiana ... não ... eu não torço para esse time ... aliás não torço para nenhum , odeio futebol , mas ontem a internet (twitter e facebook) bombou por causa desse jogo ... então vai minha saudações aê !!!
ATÉ QUE ENFIM NÉ !!!! kakaka

Voltando ....

Quem viu Avenida Brasil ontem ?

Viram o vestido  da Alexia , quem não viu , veja agora :


Todo em renda e com calda e véu de PASMEM ... 3 metros de comprimento, essa belezura é de Elie Saab !!!!
Olha só o vestido no catalogo :




Só não gostei do véu no alto da cabeça. 
Nesta foto, a atriz está com os cabelos presos, mas na cena ela entra de cabelo solto , mesmo assim não gostei do modo como o véu foi preso, a noiva do catálogo está muito mais bonita. 

O que acharam ? 

Bjinhuss